Fri 15 Jan 2016 02:32:09 PM -02

  • Status: mega esboço!

Introdução

É dito que a privacidade é apenas uma preocupação de três grupos distintos:

  1. Corruptos.
  2. Aventureiros extraconjugais.
  3. Ativistas políticos.

A defesa da privacidade de cada um desses grupos se ampara em preceitos éticos também distintos.

Este texto pretende diferenciar a defesa da privacidade para o terceiro grupo como liberdade política ampla e básica.

Ainda, o conceito de privacidade deve ser ampliado para não se centrar no indivíduo como nas diferentes concepções ocidentais.

Argumentos

  • A conspiração é parte da liberdade de associação e desassociação política.
  • É uma salvaguarda tanto para indivíduos quanto para grupos políticos.
  • No limite técnico, é a proteção dos indivíduos ao grampo cerebral (braintap).

Questionamento

  • Segredos industriais são vistos com normalidade sendo uma proteção da indústria à concorrência.
  • Porque então o segredo político não é visto também como uma proteção à concorrência entre diferentes tendências políticas?

Conspiração e inspiração

Nenhuma conspiração é eficaz na mudança dos rumos de uma sociedade se não se faz descoberta em algum momento de sua ação.

  • Conspiração: momento privado de alianças e estratégias. Na qual há intensa troca informacional e troca material respeitando afetando a autonomia apenas das partes envolvidas.

  • Inspiração: momento de tornar a estratégia pública na disputa política.

Gnosticismo, pragmatismo e paranóia: as realidades construídas

A conspiração primordial é o próprio Universo, que conspira contra ou ao nosso favor. Isso se considerarmos que as leis físicas não são objeto de disputa por conspirações ainda mais abrangentes...

A fazer

  • Contextualização histórica.
  • Desenvolver os argumentos.
  • Começar a partir do texto do Riseup: https://lists.riseup.net/www/arc/newsletter/2013-08/msg00000.html

    Espaço para a dissidência

    É um erro enquadrar as revelações sobre a vigilância em massa dos EUA e da Europa em termos de privacidade de indivíduos. O que está em jogo não é a privacidade de forma alguma, mas o poder do estado sobre seus cidadãos.

    A vigilância, em sua raíz, é uma forma altamente eficiente de controle social. Saber estar sempre sob vigilância muda nosso comportamento e reprime a dissidência. A inabilidade de nos associarmos em segredo significa que não há possibilidade alguma de livre-associação. A inabilidade de sussurrar significa que nenhuma expressão é livre de coerção, real ou implícita. Mais profundamente a vigilância generalizada ameaça eliminar o elemento mais vital de ambos a democracia e de movimentos sociais: o espaço mental para a formação de idéias dissidentes e impopulares.

    Muitos comentaristas, incluindo o próprio Edward Snowden, têm notados que esse programas de vigilância representam uma ameaça a democracia. Isso subestima o problema. Os programas de vigilância universal em vigor atualmente não são simplesmente uma ameaça potencial, eles certamente destruirão a democracia se não forem controlados. A democracia, mesmo a sombra de democracia que praticamos atualmente, está alicerçada sobre a fundação de livre-associação, liberdade de expressão e dissidência. A conseqüência do poder coercitivo da vigilância é subverter essa fundação e minar tudo o que alicerça a democracia.

    Dentro dos movimentos social há a tentação de dizer que nada mudou. Afinal os governos sempre submeteram os movimentos sociais a vigilância e a ruptura, especialmente os bem sucedidos.

    Mas esta vigilância nova é diferente. O que o governo dos EUA e seus aliados europeus construíram é uma infra-estrutura perfeita de controle social. Ao automatizar o processo de vigilância eles criaram a habilidade de adentrar a vida de todos sem esforço algum, o tempo todo, criando assim um sistema com potencial sem precedentes para controlar como nos comportamos e pensamos.

    É verdade que essa infra-estrutura não é usada atualmente desta forma, mas é uma caixa de ferramentas que pode ser facilmente utilizada para fins autoritários.

    Aqueles que imaginam que um governo pode ser confiado a se policiar quando dados o poder avassalador de olhar o funcionamento interno da vida cotidiana estão apostando o futuro na habilidade de um governo secreto de mostrar comedimento no uso de seu poder sempre em expansão. Se a história nos mostrou algo é que os poderosos sempre utilizarão todo o seu poder a não ser que sejam forçados a parar.

    Então como exatamente estamos planejando pará-los? Nós apoiamos a pessoas que estão lutando dentro do sistemas legal ou utilizando pressão política, mas nós sentimos que a nossa melhor esperança de parar a tecnologia de vigilância é a tecnologia de criptografia. Por que? Porque as forças que criaram esse bravo mundo novo provavelmente não serão extirpadas antes que seja tarde demais para pararmos o avanço da vigilância.

Criptosindicatos

  • Apenas um subconjunto de membros sabe da sua existência.